Militar de 49 anos põe termo à própria vida, em Lisboa. Ele exercia a sua actividade no quartel da Unidade de Intervenção, na Pontinha.

Na página de Facebook do Movimento Zero, é referido que o militar Carlos Barros passou a fazer parte da lista de 150 militares que se suicidaram desde o anos 2000.

Após o ato praticado, Carlos Barros foi ainda transportado com vida para o Hospital de Santa Maria, mas acabou mesmo por falecer naquela unidade hospitalar.

O Jornal de Notícias, avança que o militar deixou uma carta endereçada ao Comando Geral da GNR desconhecendo-se, no entanto, o seu conteúdo.