Três paraplégicos voltaram a andar após receberem estimulação elétrica da medula. Eles agora conseguem andar, nadar e andar de bicicleta graças a um tratamento que prevê a implantação de eletrodos na medula espinhal, um avanço científico que poderia se generalizar em alguns anos.

O resultado foi publicado na revista Nature Medicine e deve-se ao grupo coordenado pela Universidade Politécnica de Lausanne, que conta com o pesquisador italiano Silvestro Micera.

O tratamento, consiste na implantação de 15 eletrodos na medula espinhal, que enviam estímulos elétricos gerados externamente por um computador controlado pelo paciente para os músculos das pernas e do tronco, por meio de um tablet.

Em apenas um dia, os três voltaram a andar e conseguiram controlar movimentos complexos, como nadar e pedalar, mesmo fora do laboratório: “Os primeiros passos foram algo incrível, um sonho tornado realidade”, afirmou o italiano Michel Roccati, um dos três pacientes nos quais o estudo foi realizado.

e continuou: “Agora sou capaz de subir e descer as escadas e ter como objetivo, na primavera, poder caminhar um quilómetro”.