Nova descoberta de sucesso no tratamento do cancro do pâncreas. Cientistas da Fundação Champalimaud fizeram a descoberta, após muitos estudos do cancro do pâncreas.

De acordo com a equipa cientifica existe um biomarcador que avalia e melhora a eficácia dos tratamentos.

As vesículas extracelulares, “mini-células” produzidas por grande parte das células, nomeadamente as cancerosas, parecem ser o biomarcador ideal para melhorar a eficácia do tratamento do referido cancro.

O coordenador do laboratório onde está a ocorrer o estudo, Bruno Costa-Sailva refere que “Se os cancros muito agressivos, como o adenocarcinoma ductal pancreático, utilizam as vesículas extracelulares para desarmar o sistema imunitário, poderemos desenvolver novas terapias que tenham como alvo as vesículas extracelulares derivadas do tumor, tornando assim esses cancros menos resistentes aos tratamentos”.

Na pesquisa, publicada na revista Cells, verificou-se que as vesículas extracelulares de doentes com adenocarcinoma ductal pandreático “apresentavam níveis significativamente superiores de certas proteínas específicas em relação às vesículas extracelulares de pessoas saudáveis”, afirma o oncologista Nuno Couto.