Há um tipo de depressão que é confundida com mau humor. A distimia ou transtorno depressivo persistente é uma doença cujos afectados são constantemente taxados como mal-humorados, o que atrapalha o diagnóstico e o tratamento.

O que é?
Segundo o psiquiatra e psicanalista Mario Louzã, doutor em medicina pela Universidade de Würzburg, na Alemanha, distimia é uma depressão de longa duração.

Os seus sintomas não muito intensos, mas constantes, durando pelo menos dois anos.

Sintomas de distimia

  • Tristeza
  • Desânimo
  • Falta de interesse
  • Pessimismo crónico
  • Irritação
  • Baixa auto-estima
  • Sensação de culpa
    Reclamações frequentes
  • Dificuldade em sentir prazer nas actividades canadianas
  • Isolamento
  • Cansaço e falta de energia
  • Alterações do apetite
  • Alterações no sono
  • Falta de libido

A psicanalista Soraya Hissa de Carvalho explica que a distimia é conhecida como a doença do mau humor, já que a pessoa fica a maior parte do tempo em depressão e é vista pelos colegas e familiares como desanimada ou chata.

Quando surge alguém com distimia, os profissionais podem ter dificuldade em perceber o problema de longa duração”, ressalta a psicanalista Soraya Hissa.

Cura e tratamento

A doença pode ser amenizada e até mesmo curada por meio do tratamento adequado, o qual envolve antidepressivos e, em alguns casos, estabilizadores de humor.

Fazer psicoterapia também é importante, pois modifica a maneira de pensar e agir do paciente. “O distímico tem um viés negativo que o faz pensar que não vale nada, que ninguém o valoriza e que nada vai mudar. Quando a terapia o faz ver o mundo com outros olhos, ele fortalece o pensamento positivo e melhora”, reforça o psiquiatra Mario Louzã.

Essa alteração crónica do humor não preenche os critérios de intensidade dos sintomas para ser considerada um quadro depressivo clássico, mas a falta de tratamento faz com que o transtorno evolua.

Partilha
Loading...