Na miséria, Sara Norte só se aguenta com a ajuda familiar. Sem trabalho na televisão, a atriz é agora assistente operacional numa escola: “Eu não sabia que tinha paciência. É um trabalho que tem de ser feito com muito amor, não é para toda a gente. As crianças querem abraços e beijinhos e gostam muito de nós”, disse a Júlia Pinheiro, no seu programa na estação de Paço de Arcos.

A filha de Vítor Norte sente-se preparada mais do que nunca para voltar a representar. “Às vezes, ouço: ‘Fizeste mal em assumir’. Já ouvi isto. Dizem-me que depois não me chamam”, contou nas tardes da SIC, chocando os espectadores com a realidade profissional que está a viver na escola: “Estou a recibos verdes, a receber 330 euros por mês. Se tiver outra oferta, vou.”

Se não tivesse o meu pai e amigos, não sei como estaria agora”, desabafou, ela que recentemente sofreu um outro rude golpe familiar: a morte da irmã, Beatriz, de 14 anos, vítima de leucemia. “É uma coisa que não se compreende. Não é justo. Ela fez dois anos de quimioterapia e estava curada. Quando a doença voltou foi fulminante.”

L