Rogério Samora quis deixar de ser ator em mas desistiu: “Não se consegue deixar de representar”. O actor surpreendeu os fãs com o cansaço ao afirmar: “Vou deixar de ser ator […] É uma profissão muito desgastante, muito louca”, disse.

“Aproveitem que são mais três aninhos. É até ao fim do contrato [com a SIC]. Estou a falar muito a sério. Temos de ter a noção de que chega uma altura em que se algo não nos faz completamente feliz”, disse em conversa com Júlia Pinheiro. 

Arrependido do anúncio

No ano seguinte (2019), o ator disse: “Vivi mais tempo a representar, a ser outros, do que comigo. Sou ator há 40 anos, sempre a trabalhar, e isto faz com que tu não tenhas tempo para outras coisas, para conviver”, disse.

“Sou um bocadinho solitário, não é uma tendência, é por questões profissionais”, contou. Mais perto dos 60 anos – agora Rogério Samora já tem 62 anos – revelou estar mais tranquilo. “Isto hoje é com mais calma, até ando mais devagar”, revelou.

“Estava ali num período que se calhar me apetecia mudar. Mas depois comecei a pensar: ‘Mas eu sou estúpido? Vou dizer uma coisa daquelas sem pensar bem e depois vou fazer o quê? Nem é uma questão económica, vou fazer o quê? Fechar-me em casa? Ler livros e ver filmes?’ Acho que não se consegue deixar de representar, não se consegue deixar”.

Entre aquela entrevista de 2018 e agora, Rogério Samora fez a novela ‘Golpe de Sorte’, ‘Nazaré’ e estava a gravar ‘Amor Amor’. No cinema, participou também em ‘O filme do Bruno Aleixo’, ‘Sombras Brancas’ e ‘Amadeo’, estes dois últimos ainda em fase de pós-produção.