Provedora “mandava tirar rótulos dos iogurtes”, para esconder prazos de validade. Falamos do lar da Misericórdia de Boliqueime, em Loulé, onde se encontrava a idosa acamada atacada por formigas.

Ao Correio da Manhã, uma funcionária denunciou diversas situações de maus-tratos que se passam naquela estrutura residencial.

Segundo ela, a provedora Sílvia Sebastião, “mandava tirar os rótulos dos iogurtes e colocá-los em jarros para serem dados aos utentes”, de forma a esconder o prazo de validade. Os iogurtes “vinham do Banco Alimentar”, disse.

E continuou: “Alguma fruta já não vem boa para darmos aos utentes”, pelo que alguns idosos ficam com “diarreia e dores de barriga” após ingerirem “alimentos estragados”.

A funcionária contou ainda que a direção do lar ameaçou a trabalhadora que denunciou a situação da idosa atacada por formigas: “A colega que se sentiu mal foi coagida a falar pelos advogados e pela fisioterapeuta. Como ela não falou, disseram-lhe que ia ser suspensa”, revelou.