Procurador livrou CR7 de ser preso nos EUA, ao não aceitar as provas da polícia de Las Vegas, no caso Kathryn Mayorga.

O jornal ‘The Sun’, revela ter existido um mandado de prisão para o jogador português, mas o procurador Steve Wolfson, travou o mesmo.

Leslie Mark Stovall, advogado de Mayorga disse que “A polícia acreditava ter provas para o processar por agressão sexual”.

O jogador sempre se recusou a assumir qualquer violação referindo que tudo aconteceu de mutuo acordo.

Ao quebrar o silêncio, Mayorga disse ter sofrido de depressão e stress pós-traumático após o sucedido entre ela e CR7, pelo que exigia 65 milhões de euros ao craque português “pela dor e sofrimento”.