Não basta amar, é preciso demonstrar o amor. É importante dar aos demais a atenção que queríamos para nós. Se apreciamos uma pessoa devemos fazer o possível para demonstrar isso e fazê-la feliz.

Certamente, a essa altura da vida, sabes muito bem que sentir afeto não é a mesma coisa que demonstrá-lo. Há pessoas que não possuem estratégias afetivas e que, mesmo sentindo carinho e amor, são incapazes de demonstrá-lo. Ou, ainda pior, demonstram de uma maneira errada.

Esta sensação, a de não se sentir correspondido, a de não ver nenhuma demonstração deste afeto no dia a dia, mesmo que ele exista, pode criar grandes vazios e um mal-estar.

Acreditemos ou não, são muitos os casais que acabam por se distanciar não porque acaba o amor, mas porque acaba a paciência.

Quem ama deve demonstrar esse amor
Não é necessário dar presentes mirabolantes, realizar actos heróicos ou dizer a cada minuto o quanto nos amam. Na verdade, o curioso desta situação é que as pessoas podem amar sem conseguir expressar o amor, mas também podem demonstrar o quanto nos amam sem amar realmente.

A chave está na sinceridade e, sobretudo, que nós percebamos o comportamento do outro como íntegro, como autêntico. Receber e expressar carinho é parte da nossa saúde afetiva e, portanto, também tem a sua implicação na saúde física.

Não podemos obrigar ninguém a “nos demonstrar o quanto nos  ama.” As pessoas precisam da espontaneidade que surge nos pequenos detalhes e grandes momentos. A magia que não se planeia, que simplesmente acontece. Sentir esta reciprocidade autêntica que tanto nos nutre, que tanto nos tranquiliza.

O carinho, o afeto e o amor podem ser demonstrados de muitas formas diferentes. No entanto, todas elas devem ser significativas para nós. Há quem caia no erro de pensar que a sua forma de amar é a única que existe, sem levar em conta as necessidades particulares das outras pessoas.

Há quem não se sinta bem a dar abraços, acariciando, e quem sequer faça uso de palavras amáveis. A sua forma de demonstrar o amor pode ser, para eles ou para elas, dormir próximos, fazer surpresas ou “simplesmente estar”.

Entretanto, não basta somente “estar presente”. Em algumas ocasiões, não há solidão pior do que aquela que surge quando temos uma pessoa ao nosso lado que nos ama, mas é incapaz de demonstrar isso.

Cada um de nós tem as suas próprias necessidades de cuidado, reconhecimento, intimidade e paixão que são a base de um relacionamento saudável, estável e feliz. Se não houver reconhecimento nem demonstrações quotidianas de afeto, a relação arrefece.

A importância da expressão emocional
Quem quer algo costuma traçar uma série de estratégias para alcançar o seu objetivo. Pois bem… O que ocorre no momento em que a pessoa consegue aquilo que tanto sonhava? Esta é a autêntica questão.

Quando alcançamos um bem muito valorizado e apreciado, precisamos cuidar dele.

Nem todos sebem cuidar, atender, criar vínculos, oferecer espaços de crescimento pessoal também como casal. É claro que nenhum de nós sabe tudo sobre as relações humanas, mas no que diz respeito ao amor, deveríamos saber que é necessário oferecer o que o outro precisa.

Se desejas ser valorizado pelos outros, começa por te valorizar a ti mesmo e aos demais.
Se gostas de ser reconhecido pelas pessoas que amas, reconhece-as primeiro.
Se desejas ser amado, demonstra um amor verdadeiro pelas pessoas que estão à tua volta constantemente.

O que é complexo nesta realidade é que muitas pessoas não possuem um conhecimento autêntico de si mesmas. São pessoas imaturas, que não contam com uma gestão emocional adequada ou que não têm clareza em relação aos seus valores e necessidades, e tendem a projetar nos demais suas próprias carências não reconhecidas.

E aí está o problema. Vejamos agora de que forma a pessoa que nos ama poderia demonstrar tudo aquilo que merecemos, e o que um casal merece para manter um compromisso estável e feliz.

A admiração
O nosso companheiro, a nossa companheira, deve ser uma pessoa que, além de nosso cúmplice, amigo e amante, seja um ser que admiramos e respeitamos. Ele ou ela, por sua vez, também deve demonstrar o mesmo em relação a nós.

Admiramos os nossos parceiros porque são pessoas capazes de enriquecer asnossas vidas, e por isso os escolhemos.

O carinho sincero presente nos pequenos detalhes
Quem ama deve demonstrar isso todos os dias das formas mais simples, sem artifícios, de maneira livre e espontânea. Nós também devemos nos preocupar com estes pequenos detalhes que edificam a vida, e com o que realmente importa para cada um de nós.

É preciso não apenas “estar”, mas também demonstrar a nossa presença com carícias, palavras adequadas, olhares sinceros que envolvam. Não é tão difícil. Ninguém perde nada por demonstrar afeto.

Muito pelo contrário. Todo o amor que se oferece nos torna maiores, mais plenos, mais íntegros com nós mesmos e com o próprio mundo.