Quem é sério está tramado. Portugal não é um país para gente séria.”, afirmou Joaquim Jorge.

Para o fundador do Clube dos Pensadores, Joaquim Jorge, no final do passado ano “O Governo teve dois presentes completamente diferentes. Um presente bom – ‘Coletes amarelos com fraca adesão’ – e um presente mau com o ‘Apagão no histórico do Marquês’”.

Jorge afirma que “Os portugueses são bons em processos de intenção, o pior é o resto. Convocar uma manifestação, em horas de trabalho, não lembra a ninguém e mostra um amadorismo atroz”, disse, aproveitando para relembrar que “convocar uma manifestação no Facebook e muita gente dizer que vai e que gosta não é o mesmo que aparecer”.

E entre a realidade virtual e a “realidade real”, há uma coisa em que Joaquim Jorge acredita mesmo: “Mentir é apanágio dos portugueses, não é só dos políticos.

Detesto viver neste país faz de conta, de tansos, cobardes, ladrões, corruptos e sem lei. Portugal mais parece o Far West. Não sei se dá para rir ou chorar!? Somos um país de paródia, sem direito, sem razão, sem uniformidade, sem equidade, sem rigor, sem dignidade, sem imparcialidade.

Portugal é um país que não se pode levar a sério. Portugal não é um país para gente séria, quem é sério neste país está tramado e passa por lorpa e não tem futuro”.

VIANatacha Nunes Costa
Partilha
Loading...