Pessoas que têm por hábito falar com animais são mais inteligentes, segundo um estudo realizado por Gary D. Sherman e Jonathan Haidt, da Universidade de Harvard.

O estudo destacou como o antropomorfismo também se estende a objectos inanimados. Não é por acaso que aprendemos desde a infância a brincar com bonecas e bichos de pelúcia, dando-lhes um nome e conversando com eles.

As condições no estudo dos dois cientistas também é aplicável no caso de bonecos ou fantoches, e em qualquer idade.

O antropomorfismo, no entanto, não é aplicável apenas a cães ou brinquedos, ele sempre foi usado nas ciências naturais.

Quem fala com animais, para além de mais inteligente demonstra ainda uma criatividade marcante.

Tratar o nosso animal de estimação como se fosse uma pessoa e falando com ele, este irá aprender ao longo do tempo reconhecer palavras diferentes e o tom da nossa voz, para compreender como nos sentimos.

O aumento na capacidade de experimentar empatia em animais é, portanto, uma consequência directa do antropomorfismo.

Assim sendo não precisas ficar envergonhado/a se te apanharem a  falar na rua falar com o cão, ou se chamares o te gato como se fosse o amigo da primária.

Ignora quem faz cara feia, tens a ciência do teu lado e mesmo que assim não fosse, só tu sabes o quão inteligente é o teu amigo de quatro patas!

FONTEScholar Harvard
Partilha
Loading...