O Papa Francisco afirmou que as “Paróquias não devem cobrar para dedicar a Missa a um defunto”. O Papa pediu que as paróquias não cobrem para dedicar a Missa a um defunto e pronunciar seu nome no momento da Oração Eucarística.

A Missa não se paga. É o sacrifício de Cristo, que é gratuito. A redenção é gratuita. Se queres fazer uma oferta, podes, mas não se paga.

Durante a catequese pronunciada na Sala Paulo VI do Vaticano, na Audiência Geral desta quarta-feira, o Santo Padre continuou os ensinamentos sobre a Santa Missa, nesta ocasião, em concreto, sobre a Oração Eucarística.

O Pontífice recordou que a Oração Eucarística “corresponde ao que Jesus mesmo fez à mesa com os Apóstolos na última ceia, quando deu graças sobre o pão e, depois, sobre o cálice com vinho. A sua ação de graças revive em cada uma de nossas Eucaristias, associando-nos ao sacrifício de salvação”.

“Nesta solene Oração Eucarística, a Igreja exprime o que ela realiza quando celebra a Eucaristia e o motivo pelo qual a celebra, ou seja, fazer comunhão com Cristo verdadeiramente presente no pão e no vinho consagrados”.

Francisco assinalou que “o Prefácio é uma ação de graças pelos dons de Deus, em particular pelo envio de seu Filho como Salvador”.

Seguidamente “a invocação do Espírito Santo, para que, com seu poder, consagre o pão e o vinho. A ação do Espírito Santo e a eficácia das mesmas palavras de Cristo pronunciadas pelo sacerdote tornam realmente presente, sob as formas de pão e vinho, seu Corpo e seu Sangue, seu sacrifício oferecido na Cruz”.

Francisco afirmou que, “celebrando o memorial da morte e da ressurreição do Senhor, na espera de seu regresso glorioso, a Igreja oferece ao Pai o sacrifício que reconcilia céu e terra”.

“A Oração Eucarística pede a Deus que reconcilie todos seus filhos na perfeição do amor, em união com o Papa e o Bispo, mencionados por seus nomes, sinal de que celebramos em comunhão com a Igreja universal e com a Igreja particular.

A súplica, como a oferta, é apresentada a Deus por todos os membros da Igreja, vivos e defuntos, na espera da bem-aventurada esperança de compartilhar a herança eterna do céu, com a Virgem Maria e os santos”.

O Papa finalizou a catequese confiando em que, ao explicar a Oração Eucarística, facilita-se uma melhor participação na Missa. “Esta fórmula codificada de oração talvez podemos sentir um ponto distante, mas se a compreendemos bem seu significado, certamente participaremos melhor”.

Partilha
Loading...