Pais de Archie tentam a todo o custo encontrar unidade de paliativos para o filho. A criança de de 12 anos encontra-se em morte cerebral desde abril, mas os pais não desistem de lhe proporcionar o melhor conforto possível.

O Tribunal Europeu dos Direitos do Homem (TEDH) indeferiu o pedido dos pais de Archie para impedir que as máquinas de suporte de vida da criança fossem desligadas, alegando não se querer intrometer nas decisões dos tribunais ingleses.

“Não vamos desistir de Archie até ao fim”, afirmou Hollie Dance a mãe da criança.

Hollie mostrou-se dececionada com a decisão final dos tribunais em desligar as máquinas que mantêm viva a criança no Royal London Hospital.

Os pais apelaram ao Supremo Tribunal para transferir Archie para m unidade de cuidados paliativos, para que o menino possa morrer num ambiente familiar e tranquilo.