Os juízes bateram o pé e não fizeram buscas aos negócios suspeitos do FC Porto, de acordo com informação do Correio da Manhã.

Os três juízes do Tribunal de Instrução Criminal do Porto não quiseram fazer parte da equipa do juiz Carlos Alexandre estávamos ainda em 2020.

Foi dado conhecimento da situação ao Conselho Superior da Magistratura. Segundo o mesmo jornal quando Carlos Alexandre regressou ao Porto para efetuar investigações relativas às suspeitas à volta dos negócios dos dragões, deslocou-se com outros juizes do Tribunal de Instrução Criminal.