“Não fui capaz de salvar a minha filha…” disseram os pais da bebé que morreu.

5092
Não fui capaz de salvar a minha filha

“Não fui capaz de salvar a minha filha…”, disseram os pais da bebé de um ano e oito meses, de Portel que faleceu depois de ter tido alta médica do Hospital de Évora.

Jorge Martins disse à CMTV que ele e a esposa levaram a menina para o centro de saúde porque se encontrava com uma febre muito alta e dificuldade em respirar e lá mandaram-na para o Hospital de Évora.

“A meio da manhã a médica mandou-nos embora, eram perto das 10 horas da manhã e recebemos a alta…Quando vínhamos para casa na ambulância, passado perto de 6 quilómetros, a minha menina começou a revirar os olhos e ater falta de ar. Depois deitou-se no colo da mãe, acalmou-se e fiquei mais descansado.”, disse o pai.

“Quando chegámos, ela começou a revirar os olhos, a mãe a telefonar para as ambulâncias”, conta. Emocionado acrescenta: “pus o meu ouvido no peito…ainda ouvi o coração, mas depois deixei de ouvir, ficou com uma cor diferente…

Entretanto chegaram os bombeiros, foram para a ambulância e depois levaram-na. Quando cheguei a Évora, chamaram-me e deram-me a triste notícia, que a minha menina tinha morrido.”

Revoltado, o pai pergunta: “Se a menina tinha tanta dificuldade em respirar, porque é que a mandaram embora? Porquê? É isso que não compreendo.”

Jorge revela ainda frustração por não ter conseguido salvar a filha. “Ela começou a revirar os olhos e eu não consegui fazer nada. Não fui capaz de salvar a minha filha…

Ainda tinha tantos anos pela frente, a minha filha… ela vendia saúde, a minha menina…”

O Ministério Público de Évora já abriu um inquérito ao caso e a investigação tem como objetivo “o apuramento das circunstâncias em que ocorreu a morte”.

Loading...