• A mulher de homem morto por carro de Eduardo Cabrita em desespero por ajuda. O advogado da família do trabalhador que morreu atropelado na Autoestrada 6 (A6) pelo carro que transportava o ministro da Administração Interna, em Évora, admitiu hoje pedir o levantamento do segredo de justiça do inquérito-crime.

Passados dois meses do acidente, cumpridos na quarta-feira, o advogado da familia criticou O representante legal criticou a Segurança Social pela demora na atribuição das pensões de sobrevivência à família e o próprio ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita.

“O ministro, numa altura em que veio a público, disse que ia agilizar a Segurança Social, para dar à viúva e às filhas aquilo a que têm direito, as pensões, mas não aconteceu nada disso. O mais atrasado tem exatamente a ver com a Segurança Social e com o processo criminal”, disse.

Perante a Segurança Social, “para que a filha mais velha, de 19 anos, que é estudante, desempregada e figura no IRS dos pais, tivesse apoio judiciário, do qual agora já beneficia, até tivemos que provar que não tinha casas, nem carros em seu nome”, disse.