Dinamarca: Migrantes vão ter de trabalhar para receberem apoio do estado. Mette Frederiksen, a primeira-ministra dinamarquesa, deu a conhecer as novas medidas a mulheres de “origem não ocidental”.

Esta e outra medidas adotadas pretendem limitar a imigração para o país com as regras mais apertadas da Europa.

Mette Frederiksen afirma que esta medida foi criada com o intuito de facilitar a integração dos migrantes: “Queremos introduzir uma nova lógica de trabalho em que as pessoas têm o dever de contribuir e ser úteis e, se não conseguirem encontrar um emprego regular, terão que trabalhar pelo seu sustento”, referiu.

“Por muitos anos, prestamos um péssimo serviço a muitas pessoas ao não exigir nada delas”, completou.