Marco Paulo reagiu às criticas: “Existe um complô contra mim”. Ele está indignado porque continuam a dizer que ele trata mal a colega do programa, Ana Marques.

Com a estreia de ‘Alô Marco Paulo’ a 5 de junho, o cantor recebeu várias criticas: “Não é que ele seja a pessoa mais fácil de trabalhar, ele sabe que não é, tem as suas coisas… quer as coisas à maneira dele. Mas também estão a exagerar na forma como o tratam. E depois ele que foi sempre tão acarinhado pelo público não está habituado a estes chutos porque são verdadeiros chutos que ele recebe“, contou uma fonte à TV Guia.

Marco Paulo em declarações à TV Guias começou por dizer,  “Gosto muito do que faço, adoro o programa, estou muito grato, e estou a adorar a experiência. A SIC trata-me da melhor forma, até porque sabem dos meus problemas de saúde e por isso tratam-me como um brinquinho”.

No entanto afirma “Sei que recebi algumas críticas, mas a partir deste sábado o programa vai ser mais livre.”

Ele tem ainda um sonho para realizar: “queria ter no meu relvado as minhas fãs a verem-me. Sim, porque eu tenho pessoas que me amam, que me seguem e queria abrir-lhe as portas nesse sentido, de partilhar uma coisa mais com elas.”

Quanto às criticas, o apresentador revela que “Quem escreve esses comentários não me vai fazer baixar os braços e desistir … Percebo algumas, mas nada do que possam dizer-me vai afetar. Palavras, leva-as o vento. Digam o que disserem, a verdade é que somos líderes no nosso horário”.

O cantor de “eu tenho dois amores”, acha mesmo que existe um complô contra ele e está a ser aborrecido levar com tanta crítica.

“Quem faz estas críticas de que tenho sido alvo não tem razão nenhuma. Eu trato toda a gente da mesma forma, não sou de maltratar ninguém. Isto é apenas um complô contra mim. Só pode. Não quero parecer que fico aborrecido, mas a verdade é que as críticas que não são construtivas chateiam”.

Nega ainda tratar mal a colega Ana Marques, “Falso, falso… nunca faria isso a colega a algum. Ela é uma ajuda preciosa a quem só tenho que agradecer pelo tempo que me dá, pelas ajudas que me dá. De resto, tanto ela como a SIC gostam de ouvir as minhas ideias.”