Um magistrada francesa comentou o caso Rui Pinto: “Portugal protege os poderosos e corruptos…” e considera que a justiça portuguesa não está a atuar bem no caso de Rui Pinto.

Eva Joly, ex-juíza de instrução chegou a ser candidata à presidência francesa em 2012 e afirmou que a legislação portuguesa “devia ser atualizada”.

“Numa altura em que a União Europeia adotou uma diretiva com vista à melhoria da proteção de ‘whistleblowers’, Portugal está a tomar a direção errada ao tratar Rui Pinto desta forma”, afirma em declarações ao jornal norueguês VG.

“Enquanto Rui Pinto está na prisão em Portugal, procuradores de nove países (incluindo França, Bélgica, Espanha, Holanda e Inglaterra) abriram investigações baseadas nas revelações do Football Leaks”.

“É um facto que a cooperação de Rui Pinto com os procuradores estrangeiros parou desde que foi preso em Portugal. A detenção atrasa o trabalho que outros países estão a fazer na luta contra a corrupção no futebol”, diz Joly.

“O que é que Portugal está a fazer para combater a corrupção na indústria do futebol? Nada? Portugal está a investigar a corrupção revelada através do Football Leaks? A resposta curta é não. As autoridades portuguesas sublinham que não pdoem usar as revelações do Football Leaks, uma vez que consideram terem sido obtidas ilegalmente.

Quando o enquadramento legal não é suficientemente bom para combater a corrupção, é hora de Portugal pensar se a legislação não deveria ser alterada. É hora de Portugal se desenvolver. Portugal devia atualizar a sua legislação para que consiga combater a corrupção no futebol de forma eficaz. Caso contrário, Portugal só será visto como um país com um sistema legal ultrapassado, que protege os poderosos e os corruptos e prende os que escolhem falar”.
Relembre-se que Rui Pinto está preso e acusado pelo Ministério Público de 147 crimes.