A mãe que abandonou bebé no lixo foi condenada a nove anos de prisão. Sara Furtado abandonou o filho num caixote do lixo e foi agora condenada condenada por homicídio na forma tentada.

O Ministério Público (MP) considerou que Sara Furtado atuou de forma premeditada, tendo escondido a gravidez da família, do namorado e de outros sem-abrigo com quem vivia.

Para o MP, a arguida tem uma personalidade “desconforme”, não tendo demonstrado pena pela situação, mas a confissão dos factos e o fator idade (22 anos) devem ser levados em conta pelo tribunal.

“Ficou suficientemente indiciado que a arguida, grávida de 36 semanas e em trabalho de parto”, deu à luz o bebé em Santa Apolónia, “colocou o recém-nascido dentro de um saco plástico, juntamente com os demais tecidos expelidos no momento do parto, e colocou-o no interior de um ecoponto amarelo, abandonando de seguida o local”, aponta a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa,

Sara Furtado confessou que deitou o bebé num ecoponto não para se desfazer dele, mas com a intenção de que fosse encontrado, justificando o ato com a “vergonha” e o “medo” de ter um filho e viver na rua.