Juíza altera decisão do colega em tribunal e e suspende institucionalização de criança de 8 anos. A criança de oito anos que iria ser entregue a uma instituição porque os pais não se entendem (aqui).

Toda a história de Santiago deixou incrédulos muitos que acompanhavam o caso, mas mas uma juíza de turno mandou agora suspender a decisão do colega do tribunal e reverteu a medida por este aplicada.

Ao CM Susana Silva, a mãe de Santiago disse: O meu filho rejuvenesceu. Ficou muito mais tranquilo quando lhe disse que afinal para já não ia sair de casa… Apesar desta decisão, não vou cruzar os braços. Vou continuar a lutar pela guarda do meu filho, revela.

No despacho da juíza pode ler-se o seguinte: “considerando que a criança tem oito anos, que sempre viveu com a mãe e que a decisão proferida envolve uma alteração radical na situação vivencial que conhece desde que nasceu, que a mesma foi impugnada por ambos os progenitores, com a qual não se conformaram, é de admitir que a sua execução imediata não seja do interesse da criança no caso de vir a ser revogada em sede de recurso”.