Segundo uma investigação revelada pelo jornal Expresso, o Benfica andou a “cuscar” intimidade de ‘dezenas de árbitros’, aparentemente para os poder controlar.

Inicialmente tudo começou com Paulo Gonçalves, o braço direito de Luís Filipe Vieira e que havia solicitado a José Augusto Silva a descoberta dessas informações mais íntimas sobre os árbitros.

Assim, ficariam com informações privilegiadas sobre as vidas dos árbitros. Na acusação, a suspeita que caía sobre o Benfica era mesmo a de ‘bisbilhotar’ a vida íntima de “dezenas de árbitros”.

Segundo o Ministério Público, este serviço não seria pago em dinheiro, mas antes em “ofertas e bens”. A verdade é que o Benfica estava a aceder a informações íntimas e privadas dos árbitros, mas não se sabe com que finalidade em concreto.

Sem essas provas, a acusação acabou por não seguir em frentee o Benfica saiu ilibado destas acusações. Porém o jornal O Jogo, revela que o Ministério Público recorreu para o Tribunal da Relação.

Partilha
Loading...