Invisual impedido de viajar com o seu cão-guia na Ryanair.

869
impedido de viajar com o seu cão

Samuel Natário, de 32 anos, é invisual e foi impedido de viajar com o seu cão-guia na Ryanair. O animal estava registado na reserva do voo da Ryanair entre Lisboa e Londres, mas não teve permissão de embarcar, tendo o homem perdido a viagem.

Tendo em consideração as leis europeias, os invisuais têm permissão para viajar com cão-guião na União Europeia, desde que os estes estejam devidamente documentados, treinados e identificados.

A Ryanair confirmou que já exigiu explicações à empresa de handling do aeroporto, para assegurar que casos destes não voltem a acontecer.

“No passado dia 17 de outubro, tinha viagem marcada para Londres e, aquando do embarque no voo FR1885, às 6 horas, foi-me recusada entrada no avião pelo facto de estar acompanhado pelo meu cão-guia”, disse Samuel Natário.

“em todas as situações da vida, para o trabalho, para a faculdade e na vida privada, incluindo viagens ao estrangeiro”, o seu cão guia acompanha Samuel.

O homem diz já realizado feito inúmeras viagens para outros países com outras companhias aéreas sem nunca ter existido um problema. “Além de ter vindo dos EUA com a TAP, ao abrigo de um protocolo com a escola de Mortágua, o cão já viajou comigo para a Holanda e para Praga e nem a KLM nem a Czech Airlines colocaram problemas, porque conhecem a lei”.

Samuel revela já ter apresentado queixa junto da companhia aérea e da Autoridade Nacional de Aviação Civil.

Segundo lei internacional, os cães de assistência, têm autorização para entrar em espaços públicos onde o dono queira deslocar-se. Com a excepção de hospitais, por motivo de saúde pública, e jardins zoológicos, pela reacção que outros animais poderão ter.

Loading...