Faleceu o cão que guardou fielmente o túmulo do seu dono. Capitán morreu no mesmo cemitério onde o dono está sepultado há dez anos.

“Nunca vi uma coisa assim”. Disse Marta Clot, a florista do cemitério, recordando em lágrimas Capitán. Ele faleceu que com 16 anos, depois de vários problemas de visão e complicações articulares.

O cão foi uma prenda de surpresa de Miguel Guzmán ao filho Damián. Um ano depois, em 2006, Miguel morreu e o cão desapareceu de casa, regressando algum tempo depois, permanecendo junto à casa da família.

O animal voltou a desaparecer e a família pensou que tinha morrido ou fora adotado por outras pessoas. Até que o encontraram no cemitério, deitado no túmulo de Miguel. “De certeza que veio procurar o dono”, afirmou. a florista.

Descansa em paz Cápitan.