Uma empresa obrigou os funcionários que não cumpriram metas a gatinhar na rua. Em 2015, 6,4 mil funcionários chineses da Tiens Group ganharam uma viagem de férias para a França totalmente financiada pelo patrão. Porém, nem todos são compreensíveis e um empresário chinês resolveu punir alguns dos seus empregados.

A humilhação pública teria ocorrido em janeiro na cidade de Zaozhuang, a 640 km de Pequim. Ao menos seis funcionários foram obrigados a seguir um homem que segurava uma bandeira vermelha pelas ruas da cidade. Pessoas que acompanharam a cena ficaram chocadas com o tratamento dispensado aos empregados e compartilharam vídeos bizarros de toda a situação.

A empresa do ramo de produtos de beleza aplicou a punição porque os funcionários não atingiram as metas de venda estabelecidas. A polícia foi chamada e interrompeu o que estava a acontecer e a companhia passou a ser investigada, tendo que interromper suas operações por tempo indeterminado.

Segundo o gerente, entretanto, não se tratava de uma punição, mas sim de um estímulo para os funcionários que não cumpriram as estimativas de vendas de final de ano – ninguém aparentemente questionou a “lição”, com medo de perder o emprego. As cenas viralizaram e chocaram a opinião pública.

Também no fimdo ano passado, surgiu uma história de outra empresa chinesa, dessa vez do ramo de reformas domésticas, que obrigou empregados que não atingiram a meta a comerem baratas! Diante disso, gatinhar na rua é “apenas” vergonhoso…Vê o vídeo a seguir:

Partilha
Loading...