A falta de licença da casa de Cristina Ferreira tem dado muito que falar. Aparentemente, a apresentadora não tem licença de utilização, avança o JN.

Fonte próxima da diretora de entretenimento e ficção da TVI garante que documento já está pedido “há algum tempo”. Cristina Ferreira vive na moradia de luxo há três anos, mas uma licença rápida de pedir… prolongou-se!

Mário Gonçalves decidiu comentar esta situação: “Então vamos lá comentar mais uma “notícia” que não vai agradar às “Cristinetes Ofendidas”, mas o que tem que ser tem muita força.

Tomem já um calmante com chá antes de começarem a ler o resto do artigo.

A “dona” disto tudo, está a habitar numa casa de luxo na Malveira sem licença de habitação. Sim, o terreno onde Cristina Ferreira tem a sua casa de luxo, está registado como “terreno de construção” e não como “moradia de luxo”, moradia essa onde a “dona” disto tudo, habita desde 2018.

Já vieram os “defensores” e “representantes” da Cristininha da Malveira, defender a mesma, pois segundo os mesmos, a licença foi pedida ao Município de Mafra em 2018, o que na verdade, uma licença que demora em média “1 mês” a tirar, neste caso já vai fazer 3 anos e nada de licença.

Agora eu pergunto, mas alguém acredita mesmo nestas tangas? Então mas uma licença é assim tão difícil tirar ou será porque a dita moradia de luxo onde a “dona” disto tudo habita, iria tornar-se muito mais cara? Ou até mesmo porque não reúne as condições necessárias para ali se ter feito uma moradia de luxo?

Assim, registada como “terreno de construção”, dá mais jeito, não se gasta tanto ao final do ano. Mas tenham calma, a “dona” disto tudo não se pronuncia, não diz nada, não quer saber, alguém há-de resolver o problema, ela está mais entretida em mandar a TVI com os porcos com as fracas audiências que tem tido desde que tomou posse daquilo.

A continuar assim, nem sei se a moradia de luxo se safa mesmo registada como “terreno de construção”, mas isso são contas de outro rosário.

A verdade é esta, se fosse eu ou algum de vocês que está a ler este artigo, já tínhamos o Município, as Finanças, as autoridades e pardais ao ninho, de roda de nós. Já tínhamos uma multa mais cara que o valor da casa e tínhamos que a entregar ao banco. Mas não, é a Cristina Ferreira, a “dona” disto tudo, a tal que é defendida por Cristinetes com unhas e dentes, a tal que lhe basta pegar no telefone e fazer um “choradinho” ao “Ti” Marcelo e o “Ti” Marcelo resolve o problema. A tal que deve ter os contactos certos dentro do Município de Mafra para que estes atrasassem a licença e assim poupar mais uns trocos.

É isto que temos em Portugal. Malta desta que se safa com uma pinta do caraças enquanto nós andamos a trabalhar que nem camelos e a pagar impostos elevadíssimos para sustentar esta e outros parasitas deste sistema. Pois bem, vou estar atento aos próximos episódios.
Tenho dito!”