O facebook e Instagram podem mesmo deixar de existir na Europa? Corre nas redes sociais que a Lei de proteção de dados pode implicar o fecho destes serviços na União Europeia.

A Meta, dona do Facebook, admite o fim da rede social e do Instagram na Europa. À CNN Fonte oficial da Meta afirmou que a empresa não tem “nenhum desejo e nenhum plano de sair da Europa, mas a simples realidade é que a Meta, e muitas outras empresas, organizações e serviços, dependem de transferências de dados entre a União Europeia e os EUA para operar serviços globalmente”, afirmou.

E continuou: “As empresas precisam de regras globais e claras para proteger o fluxo transatlântico de dados a longo prazo e, como mais de 70 outras empresas de uma ampla gama de indústrias, estamos a monitorizar de perto o potencial impacto nas nossas operações europeias à medida que estes desenvolvimentos avançam.”

A proteção de dados já foi colocada em causa em julho de 2020 pelo Tribunal de Justiça da União Europeia e a Comissão Irlandesa de Proteção de Dados concluiu que a Meta não agia em conformidade com o regulamento geral de proteção de dados, propondo que tais transferências da União Europeia para os EUA fossem suspensas.

A Meta revela que a decisão oficial sobre o Facebook e o Instagram pode ser dada a conhecer até Junho deste ano: “Se uma nova estrutura de transferência de dados transatlântica não for adotada e não pudermos continuar a contar com as cláusulas contratuais padrão, ou outros meios alternativos, provavelmente não poderemos oferecer vários dos nossos produtos e serviços mais significativos, incluindo o Facebook e o Instagram, na Europa, o que afetaria de forma material e adversa os nossos negócios, situação financeira e resultados operacionais”.