Excesso de velocidade e chuva foram fatais para Sara Carreira. Estas foram as conclusões das investigações sobre o que se passou noite de 5 de dezembro de 2020, na A1.

De acordo com o “Correio da Manhã”, o carro onde seguia Ivo Lucas, encontrava-se em excesso de velocidade, sendo que na altura chovia torrencialmente na autoestrada.

O ‘Correio da Manhã’ aponta ainda que é necessário perceber se os condutores de todos os veículos envolvidos no acidente também estavam em excesso de velocidade iam em excesso de velocidade (120 km/h), para avançar criminalmente.

Até ao momento, só Ivo Lucas é arguido no processo, mas o Correio da Manhã revela que um dos condutores envolvidos no acidente acusou uma taxa de 1,35g/l.

Ivo Lucas apenas falou sobre o desastre no tribunal e afirmou não ter memória dos detalhes, recordava-se apenas de estar a conversa com Sara antes do choque de automóveis.