Os estagiários da Sonae estão a ser pagos a 150 euros/mês para substituir os trabalhadores.

A empresa recorre estagiários para colmatar as necessidades nos armazéns, denuncia o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal.

O CESP/CGTP-IN refere em comunicado que o grupo recorre a um programa do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) para utilizar estagiários do curso para técnico de logística, a troco de 150 euros mensais, mais a despesa com transportes.

O sindicato afirma que tal constitui uma ilegalidade. «A lei prevê contratos de trabalho para isso, é absolutamente inaceitável que se utilizem  estágios para recrutar jovens para fazer estas tarefas.

Um grupo como a SONAE, que fala tanto em responsabilidade social, quando pretende estágios assim, está a aproveitar mão-de-
obra barata. Deveriam estar a ser promovidos contratos de trabalho permanentes»
, concluiu o comunicado.