“Lembro-me de dormir na rua e vê-lo drogar-se”, foram algumas das palavras de Melânia Gomes em relação ao pai, no programa Alta Definição, da SIC.

A actrizadmite ser uma mulher com «chieira» por ser de Viana do Castelo e uma mulher muito «grata» à vida.

Admite já ter sido uma menina «insegura» e com pouca «auto-estima», mas a mente «está cada vez melhor». Segundo Melânia Gomes, a meditação tem ajudado a ser uma mulher mais segura de si, mas confessa ainda ter «vestígios» de pouca «auto-estima».

Antes, a opinião dos outros era muito significativa na sua vida. «Uma estupidez. Eu não consigo agradar toda a gente, mas eu entendia como uma validação de mim mesma», disse.

Melânia assume que em criança teve de sair de casa: «Era filha de mãe solteira, sem pai, tivemos de fugir por causa de violência doméstica e outros problemas que existiam. Viana do Castelo foi a nossa salvação», contou.

Aos 18 anos de idade, decidiu ser ser atriz: «Eu acho que posso ter dificultado a vida da minha mãe. Eu exigia muito. Ela foi uma guerreira. Ela engravidou de mim e não desistiu de mim», afirmou. A mãe da atriz quis ficar com o pai dela, mesmo ele já ter dado indícios de ter problemas com droga. «Ela achava que eu o podia mudar. Eu acho que quando se tem um vício desses é difícil. Eu não consegui mudá-lo», contou.

A maior parte das coisas más pelas quais a mãe da actriz passou foi o progenitor da mesma que lhe contou. «Ele fazia questão de me mostrar a mãe que eu tinha, ele dizia que eu tinha de ser amiga dela e que tinha passado muito nas mãos dele. Ela nunca me contou nada. Ela fazia questão de me contar as coisas boas do meu pai e ele tinha noção do mal que lhe fez. Eu lembro-me de dormir na rua e de vê-lo drogar-se nos jardins. Aos 12 anos decidi que não queria estar mais ali»

Aos 12 anos de idade tomou uma das decisões mais complicadas para uma menina da idade dela. «Aquilo não era ambiente para mim. Eu percebia as movimentações em casa. Eu cheguei a ir com ele durante a noite. Ele chegou a raptar-me e eu lembro-me de dormir na rua e de o ver drogar-se nos jardins. Ele levou-me, eu estava lá com ele», revelou.

Com apenas quatro anos de idade, Melânia foi raptada pela pai: «Andámos por muitas estações de serviço, andei de comboio muito tempo e fomos ter ao Entroncamento. Andámos ao relento e eu pedia-lhe, imensas vezes, para irmos embora e ele metia-me as cavalitas dele. Acabou por me devolver à minha mãe passado um tempo. Depois pediu desculpa e nunca mais me raptou», disse Melânia.

Quando Melânia Gomes decidiu nunca mais ir passar férias com o pai, ela acabou por perder o contacto com ele e com um primo com quem passava o verão. A actriz tinha um membro da família com quem se relacionava enquanto lá ia e era nesses momentos que ele, também, tinha uma vida normal.

Depois da sua decisão, a actriz sentiu que «nunca mais» teve pai. Dias antes de ele morrer, o progenitor encontrou a mãe da actriz e não a reconheceu, nem se lembrava que tinha uma filha. Foi a mãe de Melânia que o ajudou a recordar a vida antiga e foi aí, muito doente, que decidiu telefonar a Melânia.

«Ele pediu-me para ir vê-lo, mas achei que o devia fazer esperar. Soube uns dias depois que ele tinha morrido, mas senti que aquele telefonema foi um pedido de desculpa e um partir em paz (…) O meu pai era amor e sei o amor que tenho pelos animais vem dele. Eu sei que ele gostava de mim, ele hoje está mais comigo do que quando era vivo. Sinto muito a protecção dele. Eu sei que ele está por perto», disse em lágrimas.

Partilha
Loading...