Dor sem fim após perda do filho: “O meu entusiasmo acabou”, afirmou Custódia Gallego. Baltazar faleceu vitima de cancro em 2018.

Passados 4 anos, Custódia Gallego confessa: “Já não me levanto com aquela força que tinha. Tenho de convencer-me… Sou tipo motor de arranque. A diferença entre a vida a que damos sentido a toda a hora e esta é que agora parece que vou só vivendo. Não sobrevivo, que não é isso, vou vivendo. O que sinto é que o meu entusiasmo de vida acabou. E não vai voltar”, disse a actriz.

Custódia Gallego tenta sobreviver e para tal refere que “Desenvolvi estratégias para que os outros não levem com a minha má onda. Não precisam”.

O neto Martim, também a ajuda a passar cada dia: “Sou a avó do mimo, do amor. E consciente de que isso é não só natural como muito benéfico (…) A minha abuela também era muito disciplinadora, mas era tudo feito com muito amor. Por exemplo, em vez de me mandar dormir porque já eram horas, começava a contar-me histórias em verso, e era lindo”, concluiu referindo não ser uma avó permissiva.