Pai, mãe, mulher e até a cunhada do Presidente trabalham na Câmara.

19839
cunhada do Presidente
cunhada do Presidente

Sim, leste bem, pai, mãe, mulher e até a cunhada do Presidente trabalham na Câmara. Falamos de José Alberto Quintino (CDU), presidente e recandidato à autarquia de Sobral de Monte Agraço que enfrenta acusações de favorecimento familiar na contratação de pessoal.

Numa entrevista à revista Sábado, José Alberto Quintino referiu: “Obviamente que não há conflito de interesses. Eles estão lá todos antes de mim, têm muitos anos de casa. Quando cheguei já todos estavam lá”.

Porém, as contratações de familiares continuaram e a última foi mesmo a da cunhada de José Alberto Quintino, Marta Alexandra Pereira Roseiro.

Marta Roseiro foi contratada como assistente operacional, na área de auxiliar de ação educativa, do Centro Escolar da Sapateira, após vencer o concurso, onde concorriam ao cargo mais 39 pessoas.

De acordo com fontes locais o que está em causa não é a competência da candidata ao cargo, mas sim o “favoritismo gratuito” concedido aos familiares, e que há muito tempo a oposição contesta.

Pedro Coelho dos Santos, vereador do PS, numa reunião do executivo local questionou o Presidente da Câmara sobre os moldes do concurso e as ligações familiares que possuía com a funcionária, ao que o José Alberto Quintino respondeu que não existiam impedimentos legais à contratação e negou qualquer laço familiar com a funcionária em questão.

Mais tarde e após nova insistência do vereador socialista, o Presidente apresentou uma nova versão, que afinal Marta Roseira vivia em união de facto com um familiar, não especificando que se tratava do seu irmão, e que a cunhada tinha liberdade para concorrer aos concursos que entendesse, sem que a equipa camarária o pudesse impedir, até porque já trabalhava na área da educação no mesmo centro escolar há muitos anos.

O pormenor é que a entrada de Marta Roseiro naquela junta aconteceu no início do mandato de José António Quintino.

Questionado pela revista Sábado, o presidente nega a tese de alegado favorecimento familiar, argumentando que “nunca integrou qualquer júri de procedimento concursal de recrutamento de trabalhadores ou de contratação pública” e que “os júris dos procedimentos gozaram sempre de total autonomia, decorrendo os concursos no cumprimento escrupuloso da legislação em vigor”.

A presidente do júri, Júlia Leitão confirma o que é dito pelo Presidente da autarquia e defende o trabalho de selecção, negando que tenham havido distorções ao processo.
Júlia Leitão refere que Marta Roseiro conseguiu 16 valores na prova escrita de conhecimentos e “suficiente” na componente psicológica.
Salientou ainda que a candidata era a única entre todos os candidatos que detinha um curso profissional de serviços de apoio a crianças e jovens e com certificação profissional em Técnico de Ação Educativa, conforme o Catálogo Nacional de Qualificações, o que contribuiu para a sua contratação.

Segundo a revista Sábado, a mulher de José Alberto Quintino trabalha na secção de contabilidade da câmara; o pai era até há pouco tempo camionista da câmara; a mãe faz transporte de crianças ao serviço do município; e o tio da mulher como recepcionista/telefonista em Sobral de Monte Agraço.

O vereador do PSD, Joaquim Biancard Cruz, acredita na “boa-fé e na retidão técnica dos serviços públicos”, mas deixa um recado: “Espero que haver mais um familiar ou pessoa relacionada com o sr. presidente na autarquia não signifique qualquer favorecimento em relação aos demais”.

Loading...