Para Zezé Camarinha, mulheres portuguesas: “Não são interessantes e cheiram mal da boca”

300
cheiram mal da boca

Para Zezé Camarinha, as mulheres portuguesas: “Não são interessantes e cheiram mal da boca”. Ele deu uma entrevista a criticar as mulheres portuguesas e deixou todos surpreendidos.

Conhecido nas décadas de 1980 e 1990 por ser um conquistador de mulheres, não existia o verão que mulher estrangeira lhe resistisse ao charme, sendo a praia da Rocha era o seu local de eleição.

Envolveu-se com mulheres de muitas nacionalidades e há oito anos apaixonou-se de verdade.

“Nunca tive nenhuma a não ser esta. Era tudo passageiro e descartável. Ela também vinham aí de férias para isso mesmo“, revela.

Destas relações nasceram várias crianças e conhece pelo menos dois filhos que vivem fora do país com as mãe.

“Estão lá para o estrangeiro. Tenho alguma ligação, mas pouca. Sei que tenho 2 filhos, mas as mães envenenaram-lhes a cabeça. Um dia, apareceu-me aqui um maluco, aos gritos, a dizer que eu era pai dele, que a mãe dele tinha dito que eu é que era o pai. Tive que fugir daqui.”

Depois de conhecer Tatiana, Camarinha tornou-se um homem mais calmo: “Achava que ia morrer sozinho , porque pensava que não ia encontrar um ideal de mulher e encontrei. Caiu-me do Céu”, garante.

Apesar da vida do passado, de paixão em paixão, Zezé diz que “preferia morrer sozinho a ser traído. A traição, para mim, é pior do que perder o dinheiro todo do mundo.”

Sem piedade, não perdoa críticas às mulheres portuguesas e diz que elas hoje em dia: “São muito piores! Antigamente as estrangeiras perguntavam-me onde é que estavam as mulheres portuguesas e eu dizia que elas não gostavam das palhaçadas que as ‘camones’ faziam. Hoje, fazem tudo e mais alguma coisa. Isso faz com que se perca o interesse todo nas mulheres“.

E vai mais longe. “Então, mas alguém se interessa pelas mulheres que cheiram mal da boca, que andam a fumar, que vão para o casino? Mas essas mulheres interessam a alguém?”