Carta para a minha filha :

Querida filha, deixa-me dizer-te algumas coisas que se calhar não vais ouvir de mais ninguém. Os teus pais fizeram sempre o melhor que souberam fazer. E os avós também fizeram isso com os pais. Ninguém é melhor do que ninguém.

Andamos todos às apalpadelas nesta coisa a que chamam vida. Ser feliz é o objetivo e cada pessoa tem uma noção diferente do que é a felicidade. Respeita isso. Deixa-me dizer-te que, quando nasces, já existe um Sistema onde se tabela logo que vais passar 12 anos a estudar e mais cinco na universidade.

São 17 anos da tua vida. Tenta aprofundar as matérias que mais interesse te despertem e nunca – mas nunca – escolhas um curso só porque tem mais saídas profissionais. É que depois, diz o tal Sistema, vais trabalhar mais 40 anos até à reforma e, pelo menos, tens que gostar de fazer o que fazes para não caíres no consultório de um psiquiatra que te receita umas pílulas da alegria que só mascaram a dor (os anti depressivos são os cosméticos da alma). Porque sempre que o despertador tocar vais suspirar que não.

Portanto, escolhe um trabalho que te alegre e motive e que ainda te dê algum dinheiro a ganhar ( o dinheiro é importante sim mas a saúde está em primeiro lugar). Caso contrário vais odiar a segunda feira para sempre e para sempre suspirar pela sexta. Uma tragédia. Outra coisa que te vou dizer é que não tens que te casar e ter filhos só porque toda a gente o faz. Nem aos 30, nem aos 40.

É difícil estar num relacionamento quando ainda nem sequer te conheces bem, não fizeste as viagens que tinhas que fazer e depois os filhos nascem e já não as vais fazer porque tudo tem um preço.

As fraldas são caras e o frigorífico tem que estar sempre com comida. Querida filha, casa-te só quando sentires que já estás preparada para partilhar algo de teu com o outro. Tenta ser independente, não vás a casa de banho acompanhada por amigas só porque não o queres fazer sozinha. Não tem mal nenhum estares sozinha. É bom gostarmos da nossa própria companhia.

Outra coisa, vais encontrar gente muito má pelo teu caminho, pessoas que contaminam as outras com os seus gestos e palavras. Tenta não alimentar isso. E os amigos vão afastar-se quando notarem que estás a fazer as mudanças que eles não têm coragem de fazer. Porque vivem no medo. Mas também há pessoas boas.

Guarda-as como se fossem jóias preciosas. De resto, ninguém te vai perguntar diretamente se és feliz mas perguntam-te sempre se já te formaste, se já casaste e tiveste filhos. E quando tiveres o primeiro perguntam te quando vem o segundo porque é “mau ser filho único”. Filha, não faças nada pela cabeça do outro.

As opiniões são o que são. Não te deixes atingir por elas embora algumas até possam vir cobertas de boas intenções. Olha, e desliga a televisão mais vezes. A vida é para ser vivida não é para ser televisionada. Lê, ouve música, pinta, escreve, fotografa, ama, viaja, viaja, viaja. Não passes por cima de ninguém e deita-te sempre com a consciência tranquila e em paz. A paz é a maior conquista da vida. Amo-te.