Família do homem morto por carro onde seguia Cabrita sobrevive com 500€. A família de Nuno Santos, funcionário atropelado mortalmente na A6, pelo carro do Ministério da Administração Interna (MAI) onde seguia Eduardo Cabrita, vai exigir uma indemnização de mais de um milhão de euros.

Até ao momento, a família não tem conhecimento se já houve ou não pericia ao carro onde seguia Cabrita:“Este segredo de justiça não se justifica num acidente de viação e já o estamos a combater.”, afirmou José Joaquim Barros, advogado da família.

A filha mais velha das duas filhas da vítima já se constituiu assistente no inquérito-crime “e ainda assim nada sabemos do que se lá passa”, nem mesmo a velocidade do automóvel no momento do acidente.

A família do homem recebe apoio por parte da seguradora de acidentes de trabalho que aceitou pagar uma pensão provisória e ainda consultas de psicologia: “A seguradora de acidentes de trabalho de Nuno Santos está a portar-se muito bem ao longo deste processo”