Na miséria, Bruno Paixão vive num “quarto em casa dos pais”, disse Luís Miguel Henrique, ao diário desportivo Record. Ele afirma que o ex árbitro de futebol está inocente no caso Saco Azul.

Ao referido diário ele disse: “Após ler o meu último artigo de opinião no Record, ligou-me a garantir a sua inocência. Ao início não acreditei, pensei que estava a ser usado e quis confirmar. Propus um encontro para falarmos e ver documentos que provassem o que dizia. Fui à casa onde Bruno Paixão mora. Vive num quarto de oito metros quadrados, em casa dos pais, num bairro complicado do Barreiro. Tenho 30 anos de carreira, comecei na área do crime económico, sei como as coisas se fazem e estou convencido que Bruno Paixão está inocente pois uma pessoa culpada não tem esta postura“, contou.

E continuou:“Recebeu oito mil euros por nove meses de trabalho de consultadoria, das 8 às 17 horas, com contrato de trabalho e recibos. É licenciado em engenharia industrial pela Universidade Nova e trabalhou no grupo Autoeuropa antes de ser árbitro. Bate tudo certo“, disse.

Apesar de estar necessitado não quis prejudicar ninguém e deu este sinal de ser uma pessoa digna, terminou.