A APAV foi chamada a intervir no caso Bruno de Carvalho e Liliana Almeida pelo facto de estar a ser “abusiva” e “perigosa”, por parte do ex Presidente do Sporting.

De acordo com o site Delas.pt, a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) tem recebido vários pedidos de intervenção e o psicólogo responsável da Associação já disse que “não vai comentar nem este, nem nenhum caso concreto, nunca o fez“, ainda que a APAVestá a ver e está atenta ao que se está a passar“.

O Psicólogo dá ainda a dica de que qualquer cidadão pode apresentar queixa à ERC, à TVI e às autoridades competentes [GNR, PSP, Ministério Público], se o entenderem, disse.

E continuou dizendo tratar-se de um jogo, com imagens que podem ser editadas, que não há certeza de acesso à totalidade da informação“: “Deve ser tomado em análise se, numa relação, as pessoas são livres de tomar decisões e de não estarem condicionadas uma à outra“.

Os órgãos de comunicação social devem passar imagens positivas, de pessoas livres e de relacionamentos em que essa liberdade acontece, disse Daniel Cotrim.