Na opinião de Cavaco Silva, António Costa possui um nível de coragem política “muito baixo”, disse num artigo de opinião publicado, no jornal Público.

Para ele “o facto de o Governo dispor de apoio maioritário no Parlamento faz com que a atuação do primeiro-ministro no passado e o próprio conteúdo do programa sejam indicadores da avaliação do grau de coragem política de relevância limitada”, disse.

E continuou: “Com efeito, na prática, o Governo, confrontado com o empobrecimento relativo do país, pode ir além das medidas constantes do programa aprovado pelo Parlamento e o primeiro-ministro pode adotar um perfil mais favorável ao crescimento económico”, acrescenta.

Para o ex-presidente da República: “precisamos de menos Estado e mais sociedade civil, melhor Estado e uma sociedade civil livre, democrática e dinâmica”.