“Um ano… De dor, de solidão, de desespero, de andar à deriva, de raiva”, afirmou João Soares esta sexta-feira, 13 de maio, um ano depois da morte Maria João Abreu.

O músico homenageou com uma mensagem nas redes sociais: “Um ano… Não é muito nem é pouco. É um ano. 12 meses. 52 semanas. 365 dias. Uma medida. Ou várias medidas. Nem sei… De dor. De tristeza. De solidão. De desespero. De andar à deriva. De revolta. De raiva. E de outras tantas coisas… Mas também de aprendizagem. De família. De amigos. De amizades. De companheirismo. De música. De teatro. De arte. De abraços… tantos, mas tantos abraços. E de beijos. De amor. E de outras coisas, muitas também…“, disse.

E continuou: “De vida sem ti, mas cheia com o amor que em nós largaste, para que em outros, o possamos largar também. O teu legado, resumido nas tuas palavras: ‘Amem-se. Vivam o agora em pleno. E amanhã logo se vê’. E assim, serás sempre e para sempre. Eterna”.